quarta-feira, julho 09, 2008

Escalda pés relaxa e restabelece o equilíbrio físico e emocional


publicado em 2 de julho de 2008 | Por Giuliana Reginatto e Adriana Bifulco- Agência Estado

No vaivém do dia-a-dia, 650 músculos e 208 ossos entram em ação para que possamos nos locomover. Isso mesmo! Caminhar movimenta uma poderosa e complexa engrenagem orgânica. É por isso que os pés merecem cuidados especiais.
Um dos procedimentos mais poderosos para tratar as extremidades inferiores é o popular escalda pés, aquela receitinha caseira nascida em um passado de poucos carros e longas distâncias para percorrer caminhando. “Colocar os pés em uma bacia com água quente com um pouco de sal e cânfora é um escalda pés que se pode fazer em casa, desde que a pessoa observe a temperatura da água, que deve estar entre 36ºC e 40ºC. É indicado sobretudo para as mulheres que passam muito tempo de salto alto porque ativa a circulação”, explica a terapeuta Mônada Xavier, especializada em Naturologia pela Anhembi Morumbi
Proprietária de um spa em São Paulo, Mônada conta que aplica o escalda pés até mesmo durante o serviço de pedicure tradicional. “Percebo que as pessoas vêm se interessando mais pelo bem-estar do que pela pura estética. O escalda pés relaxa e restabelece o equilíbrio físico e emocional, tratamos até depressão com ele. Para cada problema, adicionamos um tipo de óleo essencial. Uma boa dica é colocar bolinhas de gude na água para massagear os pés”, indica. Em casa, as bolinhas substituem a sessão de reflexologia (massagem em diversos pontos dos pés) aplicada na finalização do serviço de escalda pés oferecido pelos spas e clínicas.
Numa clínica de São Paulo, a técnica ganhou um toque oriental. Vem do outro hemisfério, aliás, a cultura de banhos de imersão terapêuticos, entre eles ofurô e escalda pés. “Temos o SPA dos Pés, no qual acrescentamos à água sais das termas do Japão. São essências importadas de lá”, diz a empresária Alice Keiko. “É importante que a água chegue até a canela e esteja quente. De 10 a 20 minutos é o suficiente. Ao esfriar, é preciso enxugar os pés e colocar meias”, completa.
Alice, que se especializou em medicina oriental na China, recomenda o escalda pés não só para quem caminha bastante mas também para pessoas sedentárias. “Quem passa muito tempo sentado, inclusive no trânsito, também precisa ativar a circulação. O escalda pés só é contra-indicado para grávidas, hipertensos e pessoas com câncer em metástase justamente por lidar com o fluxo sanguíneo”, alerta.

Para fazer em casa

Maciez sedutora - Mônada Xavier ensina uma receita para seduzir com os pés. “Na imersão de água quente e sal grosso coloque pétalas de rosa e mel. O mel tem função sedativa e clareadora, embelezando a pele. As rosas conferem grande maciez aos pés e perfumam o ambiente”, diz. A terapeuta enfatiza que o escalda pés tem relação direta com a aromaterapia. “Além do contato da água com os pés, a pessoa respira os aromas das essências, levando ao relaxamento”.
Livre dos calos - Alice Keiko tem uma dica para combater calos. “Na água quente com punhados de sal grosso, acrescente vinagre. Amolece os calos e alivia a dor”, diz. Ela lembra que a técnica também funciona como assepsia (limpeza) de pés infectados por micoses. “Indico fazer o escalda pés antes de aplicar a pomada indicada pelo médico. A região fica limpa e a circulação ativada favorece a ação do remédio.”

Inverno: período para cuidar da pele

Durante o verão não faltam campanhas para alertar as pessoas sobre os efeitos nocivos do sol. O mesmo não acontece no outono/inverno, quando também é intensa a ação dos raios ultravioleta e continua sendo indispensável o uso de protetor solar.
“Deve-se cuidar e proteger a pele durante o ano todo. É uma questão educacional, pois os efeitos do sol só aparecem 20, 30, 40 anos depois. É preciso educar as crianças e os jovens para o uso do protetor solar, chapéu, óculos escuros, camiseta e guarda-sol, além da importância de se evitar o sol após 10h e só após às 16h na praia e na piscina”, enfatiza Ricardo César Pinto Antunes, cancerologista e diretor do Instituto Paulista de Cancerologia e vice-presidente da Sociedade Brasileira de Cancerologia.
De acordo com Antunes, também é importante evitar fazer bronzeamento artificial. “Essa prática não é recomendada pelas sociedades brasileiras de Cancerologia e de Dermatologia”, avisa
Ao invés de tentar manter o bronzeado a qualquer custo nesta época do ano, o ideal é aproveitar a baixa temperatura para fazer tratamentos dermatológicos, segundo Luís Fernando Tovo, dermatologista do Hospital Sírio Libanês, da Clínica Tovo, mestre e doutor em dermatologia pela Universidade de São Paulo (USP).
“Esse período é ideal para realizar tratamentos mais agressivos, já que o sol está mais fraco. Sua incidência é diagonal e não em 90º como no verão”, diz.
Entre as terapias recomendadas pelo especialista estão a retirada de rugas, pintas, manchas, vazinhos, tratar flacidez e refazer colágeno, além de eliminar pêlos com laser.
“Trata-se de técnicas minimamente invasivas e que não alteram a rotina das pessoas. Elas não precisam se ausentar do trabalho para se tratar. Há procedimentos que podem ser realizados até durante a hora de almoço do paciente. Atualmente as pessoas estão mais longevas e a pele tem que acompanhar a longevidade”, enfatiza Tovo.

---------

De fato muito relaxante e saudável e que tem ainda como alternativa muito eficaz, o uso dos Óleos essenciais na água pura, como a lavanda (8gts na bacia), que é totalmente sem contra-indicações e altamente relaxante, podendo ser usada no escalda-pés à noite proporcionando um relaxamento delicioso para uma noite de sono tranquilo.

Andreia

---------
fonte: http://www.atribunamt.com.br/?p=19228#comment-6006
Imagem: Google

Emagreça de verdade

Leia o artigo Bulletproof coffee – Uma receita inusitada!   Redação     16 de fevereiro de 2016     Café ,  Preparo e Dicas Trad...