Florais reduzem odontofobia

No dia-a-dia do consultório odontológico medo e dor são uma constante. Para o cirurgião-dentista cearense, João Elias Cunha, as práticas integrativas e complementares podem mudar esse quadro. Porém, ele reconhece descrença (Foto: Kid Júnior) obs.: foto refere-se a q está no site da reportagem
Práticas integrativas e complementares em saúde bucal, como florais de Bach, ajudam a reduzir o medo de dentista

O cirurgião-dentista João Elias Cunha admite que boa parte da população — e aí inclui até mesmo a classe médica — tem dúvidas ou descrença quanto às práticas integrativas e complementares em saúde bucal, e mais especificamente quanto aos florais de Bach. Ainda assim, ele aposta nos florais e não só os prescreve aos seus pacientes e como para si mesmo, há cerca de cinco anos.

“Tomo freqüentemente para reduzir o estresse que sinto no dia-a-dia do consultório odontológico”, explica João Elias Cunha. E mais, adianta que “existe médico que não acredita sequer na homeopatia ou na acupuntura, que já são especialidades, imagine os outros”.

O cirurgião-dentista lembra que, via de regra, tende a crer nesses tratamentos alternativos pessoas com uma visão quântica e integral do mundo, “que aceita a terapia holística, o corpo energético e as vibrações”.

Sobre os florais de Bach, informou que a prescrição é liberada, até porque não tem efeitos colaterais. Mesmo sem especificar quantos de seus pacientes aceitam usar os florais, o odontólogo esclarece que, em geral, essa prática complementar em saúde bucal é utilizada no pré ou pós-operatório, e para reduzir fobias, ansiedade ou estresse quanto ao tratamento odontológico.

Os florais não apresentam uma interação negativa como outros medicamentos e podem ser prescritos para criança, idosos e até gestante, explicou. “Mas eles não substituem a medicação alopata, quando esta é fundamentalmente necessária”, disse João Elias.

E quanto ao tempo médio para que os florais façam efeitos no organismo humano? João Elias assegurou ser possível surgirem esses efeitos logo na ingestão das primeiras doses (gotinhas diárias).

“Contudo, vai depender muito do paciente”, adiantou, esclarecendo ainda que os florais são um composto energético, originários de flores.

Estudos

As essências florais foram descobertas por um médico inglês chamado Edward Bach, que se dedicou a desvendar a natureza curativa das flores. Através de seus estudos, o médico concluiu que para obter a cura, as pessoas precisam se apegar a um objetivo e, ainda, que as flores podem libertar sentimentos negativos acumulados na alma humana.

Os florais agem de forma a remover todas as energias negativas que dificultam a vida das pessoas e que desenvolvem estresse, ansiedade ou medos excessivo, ressaltou o dentista João Elias Cunha. Estudiosos acreditam que os florais atuam exatamente sobre os chakras bloqueados, assim transmitindo para as pessoas o padrão vibratório necessário para que elas se rearmonizem.

O objetivo é dissolver as energias e sentimentos negativos como a angústia e tensão, fazendo com que organismo recupere seu equilíbrio natural, tornando os usuários mais saudável e menos propenso às doenças.

HOMEOPATIA

Ausência de efeitos colaterais é atrativo

Com os medicamentos homeopáticos é possível obter tantos resultados quanto com a alopatia, afirma a presidente da Comissão de Terapêuticas Complementares do Conselho Regional de Odontologia de São Paulo (CRO-SP), Jussara dos Santos Jorge Giorzi.

Em saúde bucal, ressalta a presidente do CRO-SP, a relevância do uso da homeopatia está na ausência de reações adversas e efeitos colaterais quando comparados aos medicamentos alopáticos, lembrou a cirurgiã-dentista.

Para ela, o baixo custo dos medicamentos homeopáticos faz com que a homeopatia ganhe cunho social e a visão mais abrangente, tornado possível abordar e tratar questões como medo e ansiedade do paciente odontológico. Como não há contra-indicação para o uso da homeopatia, esses medicamentos podem ser prescritos em odontologia sempre que necessário, explica a dentista, observando um bom nível aceitação por parte dos pacientes.

Segundo ela, em São Paulo já vinham acontecendo atendimentos com produtos homeopáticos no Sistema Único de Saúde (SUS). “Passou a ser maior depois da assinatura pelo Ministro da Saúde da Portaria 971, que visa basicamente implantar ainda mais esse uso e implementar os que já existe”, informou.

Lembrou que no País, a homeopatia foi introduzida em 1840, na época do Império. Em 10 de dezembro de 1843, foi fundado o Instituto Homeopático e aberto ao público o primeiro consultório Homeopático do Brasil. Em 1845, foi instalada a Escola Homeopática do Rio de Janeiro.

Mozarly Almeida
Repórter
=====

fonte: http://diariodonordeste.globo.com/materia.asp?codigo=558746
Imagem: Google

Postagens mais visitadas deste blog

JUSTIÇA FEDERAL E A HOMEOPATIA

O Templo das Emoções