sábado, agosto 02, 2008

Os Tipos de Yôga

Os Tipos de Yôga
Texto do livro Yôga a sério

Quais são os tipos de Yôga?
Se por tipos entendermos as linhagens, existem quatro: o Yôga Pré-Clássico (que é o nosso), o Clássico, o Medieval e o Contemporâneo. Eles são completamente diferentes entre si.
Se por tipos entendermos os ramos, então são 108 reconhecidos e mais algumas centenas de ramos apócrifos.
Estas são algumas modalidades de Yôga. Como você pode constatar, não têm nada a ver com a Educação Física:

RÁJA YÔGA, O YÔGA MENTAL
Possui um número maior de técnicas mentais do que outras modalidades de Yôga.

Rája significa real (dos reis). Consiste em quatro partes ou angas: pratyáhára (abstração dos sentidos), dháraná (concentração mental), dhyána (meditação) e samádhi (hiperconsciência). Posteriormente, em torno do terceiro século antes de Cristo, a estas quatro técnicas, foi acrescentada uma introdução constituída por outras quatro (yama, niyama, ásana, pránáyáma) com o que codificou-se o Ashtánga Yôga, ou Yôga Clássico. Veja, mais adiante, a explanação sobre o Yôga Clássico.

BHAKTI YÔGA, O YÔGA DEVOCIONAL
A tônica é a devoção. Utiliza mais mantra e pújá que as outras modalidades de Yôga.

Bhakti significa devoção. O Yôga devocional não é forçosamente espiritualista. Em suas origens pré-clássicas, sua fundamentação era naturalista e na região em que floresceu não foram encontradas evidências da existência de religiões institucionalizadas. Consiste em cultuar as forças da Natureza, o Sol, a Lua, as Árvores, os Rios, etc.

KARMA YÔGA, O YÔGA DA AÇÃO
Ensina como agir na vida e no mundo para estar de acordo com a lei do karma.

Karma significa ação. É um Yôga que induz à ação. Sua vertente medieval passou a ter conotações da filosofia Vêdánta, o que lhe conferiu um ar de “ação desinteressada”, quando na verdade a proposta é impelir à ação, ao trabalho, à realização. Por certo, tal dinâmica em princípio não visa a benefícios pessoais, recompensas ou reconhecimento.

JÑÁNA YÔGA, O YÔGA DO AUTOCONHECIMENTO
Dá mais ênfase à busca do autoconhecimento pela via da meditação.

Jñána significa conhecimento. O método dessa modalidade consiste em meditar na resposta que o seu psiquismo elaborar para a pergunta “quem sou eu?”, até que não haja mais nenhum elemento que possa ser separado do Self e analisado. Nesse ponto, o praticante terá encontrado a Mônada, ou o Ser.

LAYA YÔGA, O YÔGA DAS PARANORMALIDADES
Desenvolve os poderes paranormais através de técnicas corporais, respiratórios, mantras, etc.

Laya significa dissolução. A intenção neste tipo de Yôga é dissolver a personalidade, ou seja eliminar a barreira que existe entre o ego e o Self. Como o Self ou Mônada é o próprio Absoluto que habita em cada ser vivente, ao ser dissolvida a barreira da personam, todo o seu poder e sabedoria fluem diretamente para a consciência do praticante.

MANTRA YÔGA, O YÔGA DO DOMíNIO DO SOM E DO ULTRA-SOM
Como já diz seu nome, a ênfase é dada aos mantras.

Mantra significa vocalização. Trata-se de um ramo de Yôga que pretende alcançar a meta através da ressonância transmitida aos centros de energia do próprio corpo, conduzindo-os a um pleno despertar. Como conseqüência, a consciência aumenta e o praticante atinge o samádhi.

TANTRA YÔGA, O YÔGA DA SENSORIALIDADE
Utiliza a sexualidade como alavanca para a evolução interior.

Tantra significa, entre outras coisas, a maneira correta de fazer qualquer coisa, autoridade, prosperidade, riqueza; encordoamento (de um instrumento musical). É a via do aprimoramento e evolução interior através do prazer. Ensina como relacionar-se consigo mesmo, com os outros seres humanos, família, superiores ou inferiores hierárquicos, animais, plantas, meio ambiente, tudo enfim. Também trata de tudo o que se refira à sensorialidade e à sexualidade. Pretende atingir a meta mediante o reforço e canalização da libido.

SWÁSTHYA YÔGA, O YÔGA ANTIGO, DE RAÍZES PRÉ-CLÁSSICAS
Trata-se do próprio tronco do Yôga Pré-Clássico, do qual nasceram todos os outros. Por isso, é o Yôga mais completo do mundo.

Swásthya significa auto-suficiência, saúde, bem-estar, conforto, satisfação. É baseado em raízes muito antigas (Tantra-Sámkhya) e por isso é tão completo, pois possui o gérmen do que, séculos mais tarde, deu origem aos oito ramos mais antigos (Ásana Yôga, Rája Yôga, Bhakti Yôga, Karma Yôga, Jñána Yôga, Laya Yôga, Mantra Yôga e Tantra Yôga). Sua prática consiste em oito feixes de técnicas, a saber: mudrá (linguagem gestual), pújá (sintonização com o arquétipo), mantra (vocalização de sons e ultra-sons), pránáyáma (respiratórios), kriyá (purificação das mucosas), ásana (técnica orgânica), yôganidrá (técnica de descontração) e samyama (concentração, meditação e outras técnicas mais profundas).

SUDDHA RÁJA YÔGA, UMA VARIEDADE DE RÁJA YÔGA MEDIEVAL, PESADAMENTE MÍSTICO
É uma vertente do Rája Yôga, que inclui mantras e rituais.

Suddha significa puro. Dá a entender que pretende ser a versão mais pura do Rája Yôga, o que não é verdade, já que o Rája Yôga era de fundamentação Sámkhya e o Suddha Rája é fundamentado pelo ponto de vista oposto, o Vêdánta. Consiste em mantras e meditação.

KUNDALINÍ YÔGA, O YÔGA DO PODER
É o ramo especializado no despertamento das energias latentes no sistema nervoso central.

Kundaliní significa aquela que tem a aparência de uma serpente. É um tipo de Yôga que visa ao despertamento da energia que leva o seu nome (kundaliní). Essa energia está situada no períneo e tem relação direta com a sexualidade. Seu despertamento e ascensão pela medula espinhal até o cérebro produz uma constelação de paranormalidades, culminando num estado expandido da consciência denominado samádhi, que é a meta do Yôga. Na verdade, não apenas esta modalidade, mas todos os tipos autênticos de Yôga trabalham o despertamento da kundaliní, conforme nos diz o Dr. Sivánanda em seu livro Kundaliní Yôga, página 70, do Editorial Kier.

SIDDHA YÔGA, O YÔGA DO CULTO À PERSONALIDADE DO GURU
De origens tântricas, usa muita meditação e mantras.

Siddha significa o perfeito, ou aquele que possui os siddhis (poderes paranormais). Pelo nome, dá a entender que tem parentesco com o Kundaliní Yôga, mas com o qual manifesta pouca similaridade. Pratica-se muito mantra, pújá e meditação, mas a base é mesmo a reverência à personalidade do guru.

KRIYÁ YÔGA, O YÔGA QUE CONSISTE EM AUTO-SUPERAÇÃO, AUTO-ESTUDO E AUTO-ENTREGA
O verdadeiro Kriyá Yôga consiste em três subdivisões do anga niyama, que são normas éticas.

Kriyá significa atividade. Trata-se de um Yôga muito difundido nos Estados Unidos na década de 50 e que hoje mantém ricas instalações. Consiste em três niyamas (normas éticas): tapas (auto-superação), swadhyáya (auto-estudo) e íshwara pranidhana (auto-entrega). É citado no Yôga Sútra, livro do século III a.C. Há poucas entidades que o representam no Brasil, sendo a Bahia seu principal reduto. A maioria o estuda por livros. O melhor livro é o Tantra Yôga, Náda Yôga e Kriyá Yôga, de Sivánanda, Editorial Kier, Buenos Aires. Essa é a única obra que ensina abertamente o Kriyá Yôga, sem fazer mistério.

YÔGA INTEGRAL, O YÔGA DE INTEGRAÇÃO NAS ATIVIDADES DO DIA-A-DIA
Trata-se de uma modalidade contemporânea, que propõe a incorporação da filosofia do Yôga à vida cotidiana.

É chamado Yôga Integral não por ser mais integral que os outros, como o nome pode sugerir por associações com os alimentos integrais. Denomina-se assim porque sua proposta é integrar-se na vida profissional, cultural e artística do praticante. Foi criado por Sri Aurobindo, que defendia o desejo de que “o Yôga cesse de parecer alguma coisa mística e anormal que não tenha relações com os processos comuns da energia terrena”.

YÔGA CLáSSICO, UM YÔGA ÁRIDO E DURO, COM RESTRIÇÕES SEXUAIS E OUTRAS
É um Yôga patriarcal e restritivo. Muita gente usa o rótulo de Yôga Clássico, mas ensina outra coisa qualquer.

O Yôga Clássico ou Ashtánga Yôga não é o Yôga mais antigo nem o mais completo, como se divulga. O mais antigo e completo é o Pré-Clássico. O Yôga Clássico tem um nome forte, mas sua prática é inviável para o homem moderno devido à lentidão com que seus passos são trilhados. A prática é tão restritiva e árida que ninguém pagaria para receber esse tipo de aprendizado. Por isso, o que se vê no Ocidente são escolas que exploram o célebre nome desse ramo, mas na prática ensinam Hatha Yôga. O Yôga Clássico é constituído por oito partes ou angas que são: yama, niyama, ásana, pránáyáma, pratyáhára, dháraná, dhyána, samádhi. No Brasil, o melhor livro é o Yôga Sútra de Pátañjali, publicado pela Uni-Yôga.

ASHTÁNGA YÔGA, O MESMO QUE YÔGA CLÁSSICO
No entanto, o que se encontra nos Estados Unidos é simplesmente um nome de fantasia para o Hatha Yôga da linha do Professor Iyengar, levemente modificado.

HATHA YÔGA, O YÔGA FÍSICO
Modalidade que consiste em técnicas corporais, respiratórios e relaxamento.

Hatha significa força, violência, rapina e não o poético “Sol-Lua”, como declaram alguns livros. Trata-se de uma vertente medieval, fundada no século XI da era Cristã, portanto, é considerado um Yôga moderno, surgido mais de 4.000 anos depois da origem do Yôga primitivo! É constituído pelos quatro angas iniciais do Ashtánga Yôga (yama, niyama, ásana, pránáyáma), contudo, nas academias os dois primeiros angas não são ensinados, ficando na prática restrito apenas a ásana (técnicas corporais) e pránáyáma (respiratórios). Outras técnicas podem ser agregadas, tais como bandhas, mudrás e kriyás, mas não forçosamente. A meditação não faz parte e não deve ser incluída numa prática de Hatha. Já foi o Yôga mais popular no Ocidente. No Brasil, hoje está sobejamente suplantado pelo Swásthya Yôga (o Yôga Antigo).

IYENGAR YÔGA, UMA VARIEDADE DE HATHA YÔGA
O nome é inadequado. Iyengar é o nome de um professor de Hatha Yôga.

B. K. S. Iyengar é o nome de um professor de Hatha Yôga. Não é correto nem ético chamar seu método de Hatha pelo nome do professor. Seria o mesmo que denominar Sérgio Yôga ou Carlos Yôga ao método utilizado por esses Mestres. Trata-se de uma interpretação extremamente vigorosa do Hatha Yôga. O método é descrito no livro Light on Yôga. A tradução castelhana denomina-se Yôga cien por cien. Foi cometida uma edição em português, tão resumida que não faz justiça ao mérito da obra.

POWER YÔGA, UMA VARIEDADE DE IYENGAR YÔGA
É apenas outro rótulo para o Hatha Yôga.

Power Yôga é um método muito falado, mas pouco praticado no Brasil. Por exemplo, até hoje [texto escrito no ano de 2.001] nenhum professor dessa modalidade publicou livro algum no nosso país. Trata-se de uma marca de fantasia para um tipo de Hatha Yôga simplificado, praticado nos Estados Unidos, o que fica patente pelo próprio caráter híbrido do nome inglês-sânscrito.

Texto extraído do livro Yôga a Sério, autor: DeRose
www.casadoyoga.com.br

========

Imagem: Google

sexta-feira, agosto 01, 2008

Feng Shui - Dicas para prosperidade


Ter um bom emprego, um negócio que vai bem e ganhar na loteria ou no bingo é um bom sinal de que sua vida está próspera.

Mas, você sabia que a casa, o local onde passamos mais de 1/3 de nossas vidas, influencia e muito na prosperidade?

A técnica chinesa de harmonização e equilíbrio de ambientes, Feng shui, estuda e procura ativar as áreas e energias de prosperidade que circulam e existem em nossas casa.

Reunimos abaixo uma série de dicas práticas para você deixar sua casa mais próspera e você mais rico.

1) "A PROSPERIDADE BATE À PORTA"

Para que a ela, a prosperidade, entre totalmente em sua vida, alguns cuidados são necessários:

- A casa deve ter uma numeração de fácil identificação, se não a sorte não vai te achar.

- A porta deve abrir com facilidade e totalmente. Nada de portas emperradas ou com móveis atrás que impedem a abertura total.

- Ponha um sino de vento de metal atrás da porta. O sino atrai boas energias.

2) "A ABUNDÂNCIA BANHA SUA CASA".

Para o Feng Shui, toda a casa deve ter um rio calmo e sereno passando diante da porta. O rio irá trazer, para a casa e seus moradores, saúde, prosperidade e alimentos, levando embora as más energias. Hoje em dia, nem sempre conseguimos ter um rio em nossas portas. Mas, podemos colocar objetos e quadros que lembrem água. Você pode colocar, pelo lado de dentro da casa, próximo a porta de entrada, uma fonte de água ligada, um aquário com peixes, uma gravura ou quadro com um rio, mar e barcos, uma foto de um local que tenha cachoeira ou motivos naúticos. Tudo para atrair prosperidade.

3) "O FOGO DA PROSPERIDADE "

Você sabia que o fogão é considerado o caixa forte ou cofre da casa. Seu elemento é o fogo. É nele que preparamos os alimentos que irão nos dar sustetanção e energia no dia-a-dia. Anote alguns cuidados que você deverá ter com o fogão:

- Sempre limpo e impecável;

- Todas as bocas e o fogão funcionando bem;

- Nada de lixo perto dele, é anti-próspero.

4) "CUIDADO COM ENTULHO E LIXO "

Muitos cuidados para não ficar acumulando e guardando objetos, pápeis, roupas e lembranças que não tem mais utilidade e uso. Estes "entulhos " provocam a energia estagnada, o que atrapalha a prosperidade da casa. Faça uma avaliação e limpeza geral. Abra espaço em sua casa e vida. Não esqueça de colocar o lixo para fora também.

5) "MUITO VERDE NA CASA "

Abuse de plantas. Elas trazem boas energias. Coloque muitas flores amarelas e vermelhas, pois atraem prosperidade e abundância. Arranjo de girassol também é muito usado para atrair riqueza.

6) "MESA DE JANTAR "

A mesa de jantar, da sala ou da cozinha, é o local onde as pessaos se reúnem para as refeições e para conversar. O Feng Shui a considera um local também de prosperidade. Coloque sobre a mesa um belo arranjo de flores ou uma fruteira cheia de frutas. Se houver espaço, coloque na parede um espelho para refletir a mesa de jantar e dobrar a prosperidade.

7) "LADRÃO DA ABUNDÂNCIA"

Muito cuidado com os banheiros, são ladrões de abundância. Mantenha sempre a porta do banheiro fechada e a tampa da privada baixa. Já irá ajudar bastante.

Artigo extraído do site Bem Zen
Escrito por Vera Caballero & Franco Cuizzetti
Consultores e Profº de Feng Shui, Bioenergias,
Yoga e Oráculos.
========

Imagem: Google

Obs.: As cores do Banguá referem-se aos locais onde devem prevalecer, no ambiente da casa ou do trabalho, considerando que o "preto" indica sempre a porta de entrada.
Por exemplo, o rosa, é a cor indicada para o canto direito oposto à entrada, e refere-se à energia do amor.
Andy

quinta-feira, julho 31, 2008

ONG colhe assinaturas no “ARTE DE PORTAS ABERTAS”

A ONG Homeopatia Ação Pelo Semelhante (HAPS) participou da 18ª edição “Arte de Portas Abertas”, nos dias 5 e 6 de julho, em Santa Teresa, Rio de Janeiro.

ONG recolheu mais de 2356 assinaturas para o abaixo-assinado

Durante o evento, organizado pela Chave Mestra (associação dos artistas visuais de Santa Teresa), os militantes da ONG colheram 2356 assinaturas para o abaixo-assinado, da campanha nacional ‘’Homeopatia Direito de Todos’’.

Foram distribuídos cerca 3.700 folhetos, gerando um índice de resposta de 63,51%.

Agradecimento especial aos voluntários e apoiadores ao evento

Voluntários da Fiocruz e de outras instituições ajudaram a colher assinaturas

Com a nova camiseta “Ação Pelo Semelhante”, 20 voluntários circularam por todo o bairro distribuindo folhetos e coletando assinaturas, nos mais diversos pontos, tanto nas ruas quanto nos ateliês para colher assinaturas para o abaixo assinado.

As mesinhas coletoras de assinaturas, espalhadas pelo bairro ajudaram o público assinar o abaixo-assinado de forma espontânea.

As mesinhas “auto-falantes” para coleta de assinaturas, em pontos estratégicos do bairro e a faixa "Homeopatia Direito de Todos", de 17 metros, não deixavam dúvida sobre a presença de nossa causa a favor da liberdade de opção terapêutica para os usuários do SUS.

"Nós tocamos esta causa"

Com o slogan "Nós Tocamos esta Causa", exposto na faixa de 5 metros sobre o palco, várias bandas tocaram, convidadas pela ONG, durante o “Arte de Portas Abertas”. No Sábado: Vinícius Castro, Cinco contra Um, Os Optimistas, Autobanda e Fulanos Famosos. No Domingo: Mariano Moravatto, 3 a 1, Duda Morais e Jam Sessionde, percorrendo vários gêneros musicais. Os cartunistas Chico Caruso e Aroeira também exibiram seus predicados musicais, ajudando abrilhantar a festa.

Faixa “Nós Tocamos esta causa” sobre o palco

A ONG homenageou também artistas usuários da homeopatia que apóiam a campanha Homeopatia Direito de Todos, como Alessandra Negrini, Roberto Frejat, Tom Zé, Dira Paes e Martinho da Vila, entre outros, entrevistados pelo Jornal Semelhante.

Para ler as edições do jornal clique no link http://www.semelhante.org.br/m_jornal.htm

Nova logomarca da ONG e novos projetos

A nova logomarca da ONG Homeopatia Ação pelo Semelhante, lançada no evento “Arte de Portas Abertas”, no dia 05 de julho, foi criada pela Agência de Publicidade Giovanni FCB. O desenho fortalece a idéia de ação pelo semelhante, identidade da ONG. A mão estendida que oferece pílulas de medicamentos homeopáticos transmite o ideal da solidariedade e ao mesmo tempo lembra uma pomba, símbolo universal da paz.

Com o lançamento da nova marca, a ONG promove os novos projetos “Selo Social” e Fique Sócio”.

Descreva as idéias que a nova logo lhe transmite, envie para semelhante@semelhante.org.br até 30/07 e concorra ao sorteio de um DVD dos Optimistas. Na próxima edição divulgaremos as idéias recebidas e o nome sorteado.

Resumo das ações da campanha nacional

Veja aqui o resumo da campanha nacional “Homeopatia Direito de Todos”.

CLIQUE AQUI

Expediente
Homeopatia Ação Pelo Semelhante www.semelhante.org.br
E-mail : comunicação@semelhante.org.br Tel.: (+55 21) 2255-1934
Rua Siqueira Campos, 115 - Sobrado - Copacabana - Rio de Janeiro - CEP 22031-070

segunda-feira, julho 28, 2008

Aromaterapia como Alternativa para o Bem Estar e a Cura


Por: Gláucia Sumar Publicado em 11 em outubro 2003 no site Bemzen

Muito se fala sobre medicina alternativa, entretanto, gosto de tratar o assunto como terapia complementar, já que o termo "medicina" pode parecer a alguns pretensioso, ou mesmo a palavra "alternativa" pode ser confundida como "substitutiva". E de fato, não se trata nem de uma coisa, nem de outra. A Aromaterapia é como uma volta ao nosso estado natural, ou seja, mais humano. Lembro-me de meu avô fazendo chazinho de hortelã contra dores no estômago, chás de erva doce contra gases e xarope de agrião com folhas de eucalipto para a tosse. Meu avô não cursou universidade, ou fez curso de fitoterapia. Apenas, através da tradição oral, aprendeu e utilizou o que a natureza oferecia com aquela segurança que a sabedoria popular e a experiencia real, nos permite ter.

Fui apresentada à AROMATERAPIA,na França, onde é praticada há muitos séculos inclusive na forma oral. É preciso procurar conhecer tais terapias, sem preconceitos, é desta forma que vamos aprendendo a aprofundar o conhecimento desses óleos maravilhosos que vão nos ensinando do que eles são capazes de fazer e isso de forma simples e eficaz.


Entretanto, a ciência está presente neste tipo de tratamento, pois o que cura, é o princípio ativo contido em todas estas ervas, flores, resinas, folhas, etc. Porém não é só isto, pois o que determina a cura nestes casos, não é tão somente o princípio ativo das plantas, e sim, os efeitos que o aroma causam no ser humano, sendo determinado pelo próprio usuário. É seu nariz que determina se um aroma será bom ou ruim para você. O bem estar começa pelo “prazer” que determinado aroma lhe causará. Ao inalar um óleo essencial, este ativa três tipos de memória olfativa –Pessoal- é o registro do momento em acordo com a condição naquele momento e com seu biótipo ou tendências de sua personalidade.Cultural (territorial)- todos os cheiros e gostos que provamos na infância e ao longo da vida na região onde vivemos e crescemos.Genética- memória da natureza que está em todos os seres humanos desde os primórdios de acordo com o tipo de raça.

Os aromas vão diretamente para o cérebro através do sistema límbico, ativando também as glândulas do sistema endócrino, que induzirá a produzir alguns hormônios, como a adrenalina, ou a endorfina, gerando um equilíbrio fisiológico e emocional.

Na realidade, quem determina o óleo a ser usado, é a própria pessoa, aliado aos conhecimentos do profissional de AROMATERAPIA que pode se basear em diferentes formas de anamnese para chegar a um diagnóstico mais preciso.

Todas as folhas, flores, frutas, resinas, especiarias e sementes, têm uma personalidade específica, que na maior parte das vezes, analisando aroma, formato e até o lugar onde nascem, vão estar em perfeita consonância com a personalidade de quem os usa. Também pode ser considerada flexível e generosa, uma vez que a Aromaterapia combina-se bem com os mais diversos tipos de tratamentos. Penetrando na pele, os óleos essenciais penetram na corrente sangüínea e agem nos órgãos internos,estimulando ou sedando,e excretando as quantidades não metabolizadas. Pode-se fazer isto através de cremes e óleos corporais, massagens, tratamentos estéticos, compressas etc... Além de tudo isto, a Aromaterapia é prazerosa, mexe com nossas emoções, nossos sentimentos, nossa VIDA. Desta forma, cada óleo essencial agirá de uma forma diferente no nosso corpo, físico mental e emocionalmente, de acordo com sua composição química. Por isto, podemos dizer que a Aromaterapia é Holística, pois podemos atacar diversos males sob todos os aspectos, pois não podemos tratá-los isoladamente

História da Aromaterapia:

Há mais de seis mil anos, alguns povos já conheciam o poder das substâncias aromáticas. Flores, folhas, raízes, cascas, resinas e sementes eram utilizadas para produzir medicamentos naturais. Assim nasceu a AROMATERAPIA, MEDICINA MILENAR QUE UTILIZA ÓLEOS ESSENCIAIS 100% PUROS.
A Aromaterapia tem suas origens no uso de ervas para fins curativos, religiosos e estéticos. Civilizações como Egito, China e Índia usavam ervas para os mais diversos fins e de formas variadas. A destilação dos óleos essenciais ocorreu apenas em 1.000 d.C. e revolucionou o mercado de perfumes internacional. No século 16, os alquimistas já acreditavam ser o óleo essencial a parte da planta responsável em produzir a cura. A Aromaterapia como é hoje conhecida é relativamente recente, descoberta quando René-Maurice Gatefossé, um químico francês sofreu um acidente em seu laboratório e providencialmente mergulhou seu braço ferido em um pote de lavanda, percebendo que com isto, seus ferimentos não infeccionaram e cicatrizaram rapidamente. Após este incidente, passou a pesquisar os poderes dos óleos essenciais, cunhando o termo Aromaterapia.

Tudo isto no início do século 19, na França, sendo o precursor de muitos outros estudiosos na Europa, como Jean Valnet, Marguerite Maury e Robert Tisserand, do Instituto Tisserand, um dos maiores expoentes da atualidade em Aromaterapia.

Além de atuarem no bem-estar do corpo, da mente e da alma, os óleos essenciais contêm uma variedade enorme de componentes químicos que variam em cada espécie de planta, e também são conhecidos pelas suas grandes propriedades bactericidas e terapêuticas. Em geral, o método de extração é feito através de destilação a vapor d'água.

Como agem os óleos essenciais

Através do olfato, nossos nervos olfativos assimilam o odor dos óleos essenciais, que em poucos segundos é levado por células especializadas ao sistema límbico (área cerebral onde se processam as informações do olfato e também responsável pelas emoções). O sistema límbico está intimamente ligado ao hipotálamo, (região no centro do cérebro), que coordena os estímulos que vão desencadear respostas em todo o corpo. Nessa região são produzidas as sensações de sede, fome, sexualidade, memória, entre outras. Ao utilizar os óleos essenciais, reativamos todos esses instintos mais primitivos do ser humano. Cada óleo essencial se divide em grupos químicos com diferentes propriedades. Assim, cada tipo exerce uma função.

Como funciona a Aromaterapia:
Podemos absorver o óleo essencial através da pele e do nariz, que são as vias mais seguras.Na pele deve-se tomar cuidado extra, para evitar reações alérgicas, sensibilizações, queimaduras, irritações, etc. Para o uso seguro, deve-se diluir os óleos essenciais em veículos carreadores, como cremes neutros e óleos vegetais. Penetrando na pele, os óleos essenciais entrarão na corrente sangüínea e agirão nos órgãos internos, sendo excretadas as quantidades não metabolizadas. Pode-se fazer isto através de cremes e óleos corporais, massagens, tratamentos estéticos, compressas, etc.

Via olfato deve-se tomar cuidado com tempo de exposição e concentração. Uma parte do aroma inalado vai para os pulmões via traquéia, penetrando nos brônquios, bronquíolos e alvéolos, passando para a corrente sangüínea nas trocas gasosas, agindo da mesma forma da penetração cutânea. Outra parte do aroma vai para o cérebro, atingindo o Sistema Nervoso Central e mais especificamente o Sistema Límbico, que é nosso antigo Cérebro das Emoções, responsável por nossas emoções, nossos comportamentos, nossa memória e nossos humores. Para esta via, pode-se usar aromatizadores pessoais, à vela ou elétricos e pot-pourris.

Posso afirmar que não é apenas um caso de ver para crer,
e sim de cheirar para se apaixonar, e se curar.
Bom caminho em meio aos aromas !
==========

essa excelente postagem é da minha amiga/ex-colega do Curso de Aromatologia com o Prof. Fábian Lázlo, sendo que ela já é Aromaterapeuta há muito tempo atuando na França.
Para Contatos:
21-98867706 - e-mail: glausumar@yahoo.com.br

Andreia


Florais reduzem odontofobia

No dia-a-dia do consultório odontológico medo e dor são uma constante. Para o cirurgião-dentista cearense, João Elias Cunha, as práticas integrativas e complementares podem mudar esse quadro. Porém, ele reconhece descrença (Foto: Kid Júnior) obs.: foto refere-se a q está no site da reportagem
Práticas integrativas e complementares em saúde bucal, como florais de Bach, ajudam a reduzir o medo de dentista

O cirurgião-dentista João Elias Cunha admite que boa parte da população — e aí inclui até mesmo a classe médica — tem dúvidas ou descrença quanto às práticas integrativas e complementares em saúde bucal, e mais especificamente quanto aos florais de Bach. Ainda assim, ele aposta nos florais e não só os prescreve aos seus pacientes e como para si mesmo, há cerca de cinco anos.

“Tomo freqüentemente para reduzir o estresse que sinto no dia-a-dia do consultório odontológico”, explica João Elias Cunha. E mais, adianta que “existe médico que não acredita sequer na homeopatia ou na acupuntura, que já são especialidades, imagine os outros”.

O cirurgião-dentista lembra que, via de regra, tende a crer nesses tratamentos alternativos pessoas com uma visão quântica e integral do mundo, “que aceita a terapia holística, o corpo energético e as vibrações”.

Sobre os florais de Bach, informou que a prescrição é liberada, até porque não tem efeitos colaterais. Mesmo sem especificar quantos de seus pacientes aceitam usar os florais, o odontólogo esclarece que, em geral, essa prática complementar em saúde bucal é utilizada no pré ou pós-operatório, e para reduzir fobias, ansiedade ou estresse quanto ao tratamento odontológico.

Os florais não apresentam uma interação negativa como outros medicamentos e podem ser prescritos para criança, idosos e até gestante, explicou. “Mas eles não substituem a medicação alopata, quando esta é fundamentalmente necessária”, disse João Elias.

E quanto ao tempo médio para que os florais façam efeitos no organismo humano? João Elias assegurou ser possível surgirem esses efeitos logo na ingestão das primeiras doses (gotinhas diárias).

“Contudo, vai depender muito do paciente”, adiantou, esclarecendo ainda que os florais são um composto energético, originários de flores.

Estudos

As essências florais foram descobertas por um médico inglês chamado Edward Bach, que se dedicou a desvendar a natureza curativa das flores. Através de seus estudos, o médico concluiu que para obter a cura, as pessoas precisam se apegar a um objetivo e, ainda, que as flores podem libertar sentimentos negativos acumulados na alma humana.

Os florais agem de forma a remover todas as energias negativas que dificultam a vida das pessoas e que desenvolvem estresse, ansiedade ou medos excessivo, ressaltou o dentista João Elias Cunha. Estudiosos acreditam que os florais atuam exatamente sobre os chakras bloqueados, assim transmitindo para as pessoas o padrão vibratório necessário para que elas se rearmonizem.

O objetivo é dissolver as energias e sentimentos negativos como a angústia e tensão, fazendo com que organismo recupere seu equilíbrio natural, tornando os usuários mais saudável e menos propenso às doenças.

HOMEOPATIA

Ausência de efeitos colaterais é atrativo

Com os medicamentos homeopáticos é possível obter tantos resultados quanto com a alopatia, afirma a presidente da Comissão de Terapêuticas Complementares do Conselho Regional de Odontologia de São Paulo (CRO-SP), Jussara dos Santos Jorge Giorzi.

Em saúde bucal, ressalta a presidente do CRO-SP, a relevância do uso da homeopatia está na ausência de reações adversas e efeitos colaterais quando comparados aos medicamentos alopáticos, lembrou a cirurgiã-dentista.

Para ela, o baixo custo dos medicamentos homeopáticos faz com que a homeopatia ganhe cunho social e a visão mais abrangente, tornado possível abordar e tratar questões como medo e ansiedade do paciente odontológico. Como não há contra-indicação para o uso da homeopatia, esses medicamentos podem ser prescritos em odontologia sempre que necessário, explica a dentista, observando um bom nível aceitação por parte dos pacientes.

Segundo ela, em São Paulo já vinham acontecendo atendimentos com produtos homeopáticos no Sistema Único de Saúde (SUS). “Passou a ser maior depois da assinatura pelo Ministro da Saúde da Portaria 971, que visa basicamente implantar ainda mais esse uso e implementar os que já existe”, informou.

Lembrou que no País, a homeopatia foi introduzida em 1840, na época do Império. Em 10 de dezembro de 1843, foi fundado o Instituto Homeopático e aberto ao público o primeiro consultório Homeopático do Brasil. Em 1845, foi instalada a Escola Homeopática do Rio de Janeiro.

Mozarly Almeida
Repórter
=====

fonte: http://diariodonordeste.globo.com/materia.asp?codigo=558746
Imagem: Google

Emagreça de verdade

Leia o artigo Bulletproof coffee – Uma receita inusitada!   Redação     16 de fevereiro de 2016     Café ,  Preparo e Dicas Trad...