Desmistificando a hipnose: uma visão Analítico Comportamental do fenômeno (parte 1)

Desmistificando a hipnose: uma visão Analítico Comportamental do fenômeno (parte 1)

É possível encontrar relatos de fenômenos hoje descritos como hipnose ao longo de toda a história da humanidade. De acordo com Sofia Bauer (2010), ela já foi associada a ideias de modificação de energia, um tipo diferente de sono, uma patologia, regressão a vidas passadas, aprendizagem adquirida, uma dissociação e até mesmo uma encenação.

Franz Anton Mesmer foi o primeiro a dar um tratamento minimamente científico ao assunto (Bauer, 2010). Ele acreditava que animais humanos e não humanos possuíam um tipo de magnetismo especial, que fazia com que respondessem a movimentos elaborados com as mãos e cristais especiais (Adler, 2010). Sua tese logo foi derrubada pelo governo francês, que por meio de uma comissão composta por Franklin, Lavoisier, Guillotin e Bailly, a submeteram à experimentação e descobriram que as mesmas respostas podiam ser obtidas de outras formas (Bauer, 2010). Com o passar dos anos, diversas teorias foram surgindo para tentar explicar o transe, dentre as quais se destacam as propostas por James Braid, James Esdaile, Pierre Janet, Emile Coué, Freud, Bernheim e Charcot (Bauer, 2010). 

artigo completo:

["Comporte-se"]: Psicologia Científica: Desmistificando a hipnose: uma visão Analítico Comportamental do fenômeno (parte 1)

Postagens mais visitadas deste blog

JUSTIÇA FEDERAL E A HOMEOPATIA

Homeopatia para dengue